Início do cabeçalho do portal da UFERSA

CAADIS - Notícias

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido criada em 2005, e que integra as universidades federais do Brasil, obteve avanços por meio do Programa de Apoio a Planos de Reestrututuração e Expansão das Universidades Federais (REUNI), instituído pelo decreto presidencial nº 6096 de 24/05/2007, concretizando assim, uma política de expansão e inclusão social na região do semiárido potiguar.Nesse sentido, a UFERSA tem sua importância no desenvolvimento da região, bem como na construção de espaços para a produção de conhecimentos que promovam a igualdade, a inclusão e contribuam na formação de cidadãos e cidadãs emancipados(as). É importante registrar as ações em prol do ingresso de estudantes por meio da adoção 100% (cem por cento), em 2010, do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), pelo Sistema Integrado de Seleção Unificada SISU/MEC. Assim, na UFERSA, as experiências são voltadas para as políticas de assistência aos estudantes através da Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários (PROAC), em iniciativas do Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES).

As ações afirmativas, diversidade e inclusão social, incluem atividades e ensino, pesquisa e extensão para estudantes oriundos de espaços populares por meio do pioneiro Programa Conexões de Saberes (MEC/SECADI-Edital Nº. 11/2009). A UFERSA, integrada ao Fórum de Educação para as Relações Étnico-raciais do RN, por meio da parceria com a Coordenadoria de Promoção de Políticas de Igualdade Racial (COEPPIR) executa formações gerais e específicas sobre a temática da diversidade étnico-racial. Nesse contexto, foram executadas várias ações extensionistas de inclusão, entre as quais, o Curso Pré-Universitário Popular, ação iniciada no Programa Conexões de Saberes, nos Câmpus da UFERSA, Mossoró, Angicos e Caraúbas, em parceria com as Escolas Públicas da Rede Estadual e Municipal, atividade em interface com ensino e pesquisa, objetivando o acesso e a permanência de estudantes populares na universidade e o agendamento de temáticas entre os segmentos acadêmicos e a comunidade.

Outra ação de iniciativa do Programa Conexões de Saberes, foi a criação do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB), por meio do Departamento de Agrotecnologia e Ciências Sociais (DACS) com o objetivo de valorização da cultura africana e afro-brasileira. Nessa perspectiva o Conexões de Saberes, vinculado à Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, ofertou aos estudantes a oportunidade de formação sobre a Lei Nº 10.639/2003, a realização do Curso Práticas Discursivas de Igualdade Racial: implementação da Lei Nº 10.639/2003. Também foram realizados eventos como Ciclo de palestras, minicursos, seminários locais e estaduais sobre a igualdade, acesso e permanência de alunos no ensino superior e em diálogo com as comunidades; além da realização de discussões sobre a inclusão social de estudantes negros(as) na universidade e sobre a educação para as relações étnico-raciais.

Proporcionou ainda a formação extensionista sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS, por meio de Oficinas intituladas “Noções básicas de Língua Brasileira de Sinais” e “Libras em Contexto” para os estudantes, professores e funcionários da UFERSA, familiares e cidadãos surdos de Angicos e adjacências, além da equipe e de parceiros do Projeto, bem como o mapeamento de pessoas surdas na região do Sertão Central, em Angicos-RN. Tal iniciativa teve como meta oferecer os conhecimentos de LIBRAS para surdos e ouvintes, com o propósito de divulgar para a comunidade em geral a cultura surda, além de orientar a forma de comunicação com as pessoas com deficiência auditiva, estabelecendo interação entre ouvintes e surdos. Dentro do conteúdo programático, entre outros assuntos, as estratégias para a compreensão de LIBRAS e os exercícios gestuais com uso de sinais específicos.

Em 2010, as diretrizes do Programa Conexões de Saberes passaram a incorporar o Programa de Educação Tutorial do MEC SESu e foi criado o PET Conexões, tendo a UFERSA aprovado quatro Projetos.

Outra iniciativa foi a realização de cursos “Libras em Contexto”, reconhecendo os direitos das pessoas surdas, voltados para a comunidade acadêmica (professores, servidores e estudantes) da Universidade Federal Rural do Semi-Árido. O curso integrou a programação do Programa Incluir (MEC), organizado pela Pró-Reitoria de Recursos Humanos, atualmente Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGEPE). Durante um mês, os participantes tiveram a oportunidade de iniciar o aprendizado na linguagem dos sinais. Assim, a proposta do Curso de Libras foi preparar os servidores da UFERSA para conversar com pessoas com necessidades especiais auditivas, visando dar suporte às ações institucionais no que se refere ao processo de inclusão social vivenciado atualmente pelo país. Durante o curso, os servidore receberam informações e dicas sobre a forma correta de se comunicar com as pessoas com necessidades especiais auditivas, além de receber noções sobre LIBRAS, sistema de transcrição para LIBRAS e gramática no mundo das pessoas com necessidades especiais.

A UFERSA realizou o “Programa Incluir: construindo o caminho para a acessibilidade”, no qual se equipou e aprendeu a atender melhor as pessoas com deficiências e com necessidades especiais, dotando a universidade de infraestrutura e equipamentos, necessários ao atendimento e acessibilidade de alunos, professores, técnicos e comunidades que tenham alguma necessidade especial, e ao mesmo tempo, desenvolveu cursos para a comunicação em LIBRAS.

Ressalte-se a política de expansão dos campus a qual gerou oportunidade às pessoas para o ingresso na universidade. Além da oferta do ensino a distância por meio do Núcleo de Educação a Distância(NEaD) da UFERSA, nos Pólos de Caraúbas, Grossos e Natal. Também faz parte desse contexto a oferta da Disciplina de Inclusão e Educação Especial e Inclusiva no primeiro Curso de Licenciatura em Matemática, além da acessibilidade garantida no portal do NEaD para pessoas com necessidades educacionais especiais.

Em relação à acessibilidade física, a UFERSA já fez a adaptação e acessibilidade nos Câmpus de Mossoró, Angicos, Pau dos Ferros e Caraúbas, bem como o projeto de sinalização e urbanização do Câmpus Sede, com foco na acessibilidade. Também trabalha na adequação da infraestrutura e aquisição permanente de equipamentos para o atendimento, à adaptação dos espaços físicos e adquiriu plataformas de deslocamento vertical para os prédios que possuem primeiro andar, além de impressora e seis teclados, equipamentos em Braille.

Nesse contexto, a UFERSA, universidade em crescimento, tem sido pioneira ao sensibilizar seu corpo docente e discente para receber pessoas surdas e promover a LIBRAS dentro da universidade, mesmo antes de receber alunos e servidores surdos.

Em 2012, a UFERSA institui a Coordenação de Ação Afirmativa, Diversidade e Inclusão Social, aprovada pelo Conselho Universitário – Resolução Nº 005/2012, de 31 de outubro de 2012, que contempla a realização de um conjunto de ações voltadas para estudos e adoção de medidas de políticas afirmativas de inclusão social, que envolvam o acesso e permanência na universidade, no contexto de democratização do acesso à educação superior pública, gratuita e de qualidade. Logo, fortalecer o direito de todos os estudantes ao acesso à universidade e garantir a permanência qualitativa na academia constituem-se tarefas de grande vulto para a educação, porém são objetivos perfeitamente alcançáveis, dentro da perspectiva da universidade inclusiva. Por conseguinte, a instituição da Lei das Cotas, que acelerou o processo de adoção desta medida na UFERSA, em 2013, a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), vai além e já inicia 2013 destinando 25% das vagas ao sistema de cotas para negros, índios e estudantes que concluíram o Ensino Médio, integralmente, na rede pública de ensino.

29 de setembro de 2014. Visualizações: 1145. Última modificação: 06/02/2017 13:05:26